Artigos Publicados

A imagem que ilustra o artigo sobre Releitura de Obra do blog de Marco Baptista, é vibrante pintura que estiliza a icônica Torre Eiffel com pinceladas expressivas e cores vivas contra um céu azul-turquesa. Texturas robustas e uma paleta multicolorida dão vida à cena urbana, evocando uma sensação de movimento e energia.
Autorretratos de Pintores capturados em ação, onde uma mão, como a do pintor Marco Baptista, segura um pincel fino, detalhando cuidadosamente uma tela que está fora de foco. A atenção meticulosa do artista é evidente pela precisão de seu gesto, enquanto a luz suave acentua a textura do pincel de madeira e das cerdas, bem como a pele e as unhas bem cuidadas da mão que trabalha.
Retratos e Autorretratos em destaque nesta reprodução de uma obra renascentista, exibindo um casal nobre em trajes de época. À esquerda, um homem de pé, vestindo uma capa escura e um chapéu extravagante, faz um gesto sutil com a mão. À direita, uma mulher em pé, trajando um vestido verde longo com mangas azuis e um véu branco cobrindo o cabelo, coloca a mão sobre o ventre, sugerindo maternidade. Ao fundo, detalhes arquitetônicos da sala e um espelho convexo capturam a figura do pintor, refletindo a complexidade e profundidade que Marco Baptista admira e estuda em sua própria prática artística.

O termo releitura de obra é muito comum nas aulas de Artes do Ensino Fundamental. É muito provável, inclusive, que você já tenha feito a famosa “releitura de obra” na sua época de escola. Continue lendo.

Os autorretratos faziam parte da produção de diversos artistas na Academia. Neste artigo vamos entender um pouco melhor a forma como este tipo de estudo fazia parte das produções da época. Continue lendo.

Assim como natureza morta, paisagem ou pintura de gênero, o retrato é um gênero da pintura em que quase todos os pintores e escultores se dedicaram em algum momento. Continue lendo.

A estética kitsch é evocada por esta escultura de uma figura feminina clássica, que exibe traços suaves e um leve sorriso. A estátua, em mármore pálido, segura delicadamente o tecido de sua vestimenta, demonstrando a habilidade do escultor em capturar detalhes finos e expressões subtis. Enquanto a arte contemporânea pode explorar o kitsch como uma forma de expressão, Marco Baptista aprecia e estuda elementos tanto da arte clássica quanto de movimentos modernos em suas próprias práticas artísticas. A escultura está posicionada contra um fundo desfocado de vegetação verde, sugerindo a colocação em um jardim ou parque.
O artigo que fala sobre como queimaram uma obra de Picasso mostra um livro que se destaca nesta imagem, sugerindo um conteúdo dramático e intrigante sobre o famoso artista. O livro, com uma capa desgastada que apresenta a silhueta de Picasso, repousa sobre uma superfície de madeira, ao lado de um bule de chá de cerâmica com desenhos em azul e branco. A cena evoca um ambiente de estudo e reflexão, o tipo de local onde Marco Baptista poderia se aprofundar nos mistérios e histórias da arte.
O início da academia de belas artes pode ser distante desta imagem, que retrata um cenário de advocacia, com um documento em primeiro plano. Um martelo de juiz de madeira e uma placa com a palavra "ATTORNEY - advogado em inglês" refletem a gravidade e formalidade do sistema jurídico. Um caneta tinteiro vermelha repousa sobre o papel, sugerindo a finalização de um processo legal. Embora remova da esfera das artes, Marco Baptista, como artista e acadêmico, pode apreciar a composição e significado intrínseco em todas as formas de documentação, seja em arte ou em textos legais. A imagem transmite um senso de conclusão e resolução, elementos que podem inspirar temas em suas obras.

A estética kitsch se popularizou em meados da década de 1930. Suas características trouxeram – e ainda trazem – diversas reflexões. Continue lendo.

Uma obra do grande artista Pablo Picasso foi queimada. Em meio isso tudo, decidi falar um pouquinho a esse respeito. Continue lendo.

Desde a Missão Artística Francesa, foram anos muito difíceis até a consolidação da Academia de Artes no Brasil. Continue lendo.

Vídeos para aprofundar o conhecimento sobre arte: técnicas, materiais, ensino de Arte, prática e muito mais.

Uma foto de |Ferreira Gullar.

A arte existe porque a vida não basta.

Ferreira Gullar

Escritor

  • Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
  • Visita de hoje ao @institutocollacopaulo. Já queria ter ido em dezembro, mas acabei só conseguindo ir hoje.

Uma excelente seleção com mais de 100 peças variadas, com temática religiosa, abraçando séculos de arte sacra, só Renascimento à contemporaneidade. São pinturas, esculturas, altares, vitrais, documentos, objetos e muito mais. 

O Instituto fica na Av. Desembargador Pedro Silva, em frente à Praça da Praia do Meio, em Coqueiros. A entrada é franca e vale a pena a visita.

#arte #artesacra #arteemfloripa #florianópolis #florianopolis #cultura
  • Último dia de 2023 em Posadas - Misiones / Argentina.

Feliz 2024 pessoal!

🍾

#argentina #posadasmisiones #misiones #turismo #costaneira #turism #vacaciones
  • Agora oficialmente membro do Comitê de História, Teoria e Crítica de Arte da Anpap - Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. 

É um prazer integrar oficialmente esse grupo, para o qual já apresentei algumas de minhas pesquisas nos últimos anos. 

😊

#arte #artesplásticas #teoriaehistória #anpap #pesquisa
  • Há alguns dias visitei a Exposição "Lauro Müller e a expedição Roosevelt-Rondon", que está em exibição na Biblioteca Pública de Santa Catarina. É uma exposição modesta, mas com obras de Boscagli, uma verdadeira aula.

Ela estará em exibição gratuita aberta ao público até o dia 09 de setembro, e vale muito a pena a visitação. 

Você já deu uma passada lá? Se foi, me conta o que achou!

E se não foi, coloque na sua lista!

#arte #exposição #boscagli #arteemfloripa #floripa #florianopolis #exposiçãodearte
  • Ontem à noite tive a oportunidade de estar presente na abertura para convidados da exposição Metamorfoses, da artista blumenauense Elke Hering, no @institutocollacopaulo. A abertura contou com grande público, num dia de casa cheia. Também tivemos a presença do senador @esperidiaoamin, prefeito @topaziofloripa, além de @rafabell  filha de Elke Hering. 

A exposição tem curadoria de @mattardenise e estará aberta ao público a partir de hoje, às 13h30, até dezembro. 

Mais uma bela exposição, recomendo a visita.

#institutocollaçopaulo #elkehering #arte #artista #exposição #floripa #artefloripa #arteflorianópolis #florianópolis welcome to Coqueiros #florianópolis
  • Um estudo em lápis e papel, bem simples, pra começar a semana. Um galpão velho que encontrei por aí. 🏚️ 

Desenhar estruturas antigas é sempre um exercício interessante, pois elas carregam marcas do tempo que contam histórias. 

Esse galpão, com sua estrutura desgastada e textura rica, foi um ótimo estudo de luz e sombra, além de texturas.

E você, já experimentou desenhar estruturas antigas? 🎨

#Arte #EstudoDeArte #Lápis #Galpão #Desenho #Art #StudyOfArt #Pencil #OldBarn #Drawing #Arte #EstudioDeArte #Lapiz #Galpon #Dibujo
  • Quando começamos a nos arriscar a desenhar rostos, geralmente começamos por pessoas de quem gostamos, sejam familiares, amigos ou mesmo famosos. 

É um incentivo bem bacana para aprimorarmos nosso trabalho.

Aqui representei minha esposa @denny,baptista - que tem sido representada de diversas formas nestes anos.

Este tipo de estudo, o de rostos, é excelente para mantermos nossa prática afiada, pois o rosto humano é bem difícil de se representar. Um risco a mais e envelhecemos a face, a menos e a tornamos infantil. O mesmo acontece com os volumes, luzes e sombra. 

Por isso, treinar nunca é demais!

Você já desenhou alguém de quem gosta? 

#esenho #desenhohumano #lapisepapel #draw #drawing #drawingart #dibujosart #dibujosalapiz
  • Jovem Marco passando na sua timeline.

Filho da escola pública, cursei Belas Artes na UFRJ na raça. Nos primeiros 6 meses morei em uma vaga de uma pensão no Méier. Depois, consegui uma vaga no alojamento estudantil, na Ilha do Fundão.

Foram anos de vacas magras, mas de uma realização incrível. Faria tudo novamente, passando cada aperto, cada marmita, cada almoço no "podrão" embaixo do CCS ou no bosque da EBA, e fazendo as mesmas 30 horas de ônibus a cada final de semestre para voltar para casa visitar a família e a noiva. Cresci demais como pessoa, como artista, como profissional. O que aprendi lá me destaca até hoje. 

Nessa primeira foto estou eu, ainda no primeiro semestre, indo pegar o ônibus. Aí no fundo o prédio da reitoria e também da EBA. Recentemente o andar da EBA  pegou fogo deixando essa lembrança. 

A segunda foto foi tirada em 2009 no final da facul, na inauguração do Pamplonão, ateliê de pintura Candido Portinari, que contou com a presença do filho de Portinari. Eu sou a coisa estranha de boina na frente. Essa foi a foto oficial do evento - a prova de que eu estava lá, RS. O Pamplonão acomoda a galeria Macunaima, com exposições de estudantes e professores da EBA. Também tive a oportunidade e expor lá. Bons tempos! 

#ufrj #artista #palplonao #eba #ebaufrj
  • Desenho de Victor Meirelles, feito com giz pastel sobre papel preto. 

Meirelles é considerado um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos, e sua vida é uma fonte de inspiração constante. 

Nascido em Florianópolis, Meirelles estudou na Academia Imperial de Belas Artes no Rio de Janeiro, sendo um de seus grandes destaques e um ícone nacional quando se fala em Pintura. Sua obra abrange uma variedade de temas, desde retratos até cenas históricas e religiosas.

Não há livro de história do Brasil que não tenha uma pintura de Victor Meirelles, pois seu trabalho reproduz momentos históricos extremamente importantes como a Primeira Missa, Batalha dos Guararapes, Batalha do Riachuelo entre outras. 

#Arte #EstudoDeArte #GizPastel #PapelPreto #VitorMeireles #Desenho #Art #StudyOfArt #PastelChalk #BlackPaper #VitorMeireles #Drawing #Arte #EstudioDeArte #TizaPastel #PapelNegro #VitorMeireles #Dibujo
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú.

Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis.

Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida.

Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade.

Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar.

Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos.

A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões.

Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos.

Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi.

E agora, qual será a próxima? 😉

#yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
Em janeiro deste ano, minha esposa @denny.baptista e eu fizemos uma viagem de carro que planejávamos há anos: conhecemos os locais das antigas Reduções Jesuíticas na Argentina. Vou compartilhar aos poucos sobre cada uma, começando pela mais longínqua no nosso roteiro: Yapeyú. Situada em Corrientes, Argentina, Yapeyú é um lugar onde, há séculos, os jesuítas viviam em harmonia com os guaranis. Cultivavam a terra, cuidavam dos animais e erguiam casas e igrejas. Aprendendo uns com os outros, formaram uma comunidade unida. Yapeyú se destacava por várias razões. Uma delas era a abundância de vacunos, animais semelhantes aos nossos bois atuais. Eles eram essenciais para a agricultura e alimentação da comunidade. Com o tempo, esses animais se tornaram escassos, forçando a comunidade a buscar novos lugares para viver e trabalhar. Uma curiosidade interessante sobre Yapeyú é a existência de uma casa de passagem. Esta estrutura era especialmente projetada para viajantes a caminho de Buenos Aires. O mais peculiar era sua entrada, situada fora da redução, impedindo que os visitantes entrassem em contato direto com os guaranis. Essa medida garantia a preservação da comunidade indígena, mantendo-a a salvo de influências externas e possíveis conflitos. A saída dos jesuítas da América do Sul marcou uma época de mudanças. Terras antes harmoniosas viram-se envolvidas em disputas entre Brasil, Paraguai e Argentina. E Yapeyú estava bem no centro dessas tensões. Além das reduções jesuíticas, Yapeyú deixou outro legado, sendo o berço de José Francisco de San Martín. Este, desde criança, aprendeu sobre a importância da liberdade. Adulto, tornou-se um herói, lutando pela independência de países sul-americanos. Hoje, Yapeyú é um sítio arqueológico em ruínas, testemunho de uma comunidade de extrema importância para a história do Brasil, Paraguai e Argentina. As fotos que compartilhamos dão um pequeno vislumbre do que foi. E agora, qual será a próxima? 😉 #yapeyu #argentina #missões #missoesjesuiticas #historia
4 dias ago
View on Instagram |
1/10
Visita de hoje ao @institutocollacopaulo. Já queria ter ido em dezembro, mas acabei só conseguindo ir hoje. Uma excelente seleção com mais de 100 peças variadas, com temática religiosa, abraçando séculos de arte sacra, só Renascimento à contemporaneidade. São pinturas, esculturas, altares, vitrais, documentos, objetos e muito mais. O Instituto fica na Av. Desembargador Pedro Silva, em frente à Praça da Praia do Meio, em Coqueiros. A entrada é franca e vale a pena a visita. #arte #artesacra #arteemfloripa #florianópolis #florianopolis #cultura
1 mês ago
View on Instagram |
2/10
Último dia de 2023 em Posadas - Misiones / Argentina. Feliz 2024 pessoal! 🍾 #argentina #posadasmisiones #misiones #turismo #costaneira #turism #vacaciones
2 meses ago
View on Instagram |
3/10
Agora oficialmente membro do Comitê de História, Teoria e Crítica de Arte da Anpap - Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. 

É um prazer integrar oficialmente esse grupo, para o qual já apresentei algumas de minhas pesquisas nos últimos anos. 

😊

#arte #artesplásticas #teoriaehistória #anpap #pesquisa
Agora oficialmente membro do Comitê de História, Teoria e Crítica de Arte da Anpap - Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. É um prazer integrar oficialmente esse grupo, para o qual já apresentei algumas de minhas pesquisas nos últimos anos. 😊 #arte #artesplásticas #teoriaehistória #anpap #pesquisa
5 meses ago
View on Instagram |
4/10
Há alguns dias visitei a Exposição "Lauro Müller e a expedição Roosevelt-Rondon", que está em exibição na Biblioteca Pública de Santa Catarina. É uma exposição modesta, mas com obras de Boscagli, uma verdadeira aula. Ela estará em exibição gratuita aberta ao público até o dia 09 de setembro, e vale muito a pena a visitação. Você já deu uma passada lá? Se foi, me conta o que achou! E se não foi, coloque na sua lista! #arte #exposição #boscagli #arteemfloripa #floripa #florianopolis #exposiçãodearte
6 meses ago
View on Instagram |
5/10
Ontem à noite tive a oportunidade de estar presente na abertura para convidados da exposição Metamorfoses, da artista blumenauense Elke Hering, no @institutocollacopaulo. A abertura contou com grande público, num dia de casa cheia. Também tivemos a presença do senador @esperidiaoamin, prefeito @topaziofloripa, além de @rafabell filha de Elke Hering. A exposição tem curadoria de @mattardenise e estará aberta ao público a partir de hoje, às 13h30, até dezembro. Mais uma bela exposição, recomendo a visita. #institutocollaçopaulo #elkehering #arte #artista #exposição #floripa #artefloripa #arteflorianópolis #florianópolis welcome to Coqueiros #florianópolis
8 meses ago
View on Instagram |
6/10
Um estudo em lápis e papel, bem simples, pra começar a semana. Um galpão velho que encontrei por aí. 🏚️ 

Desenhar estruturas antigas é sempre um exercício interessante, pois elas carregam marcas do tempo que contam histórias. 

Esse galpão, com sua estrutura desgastada e textura rica, foi um ótimo estudo de luz e sombra, além de texturas.

E você, já experimentou desenhar estruturas antigas? 🎨

#Arte #EstudoDeArte #Lápis #Galpão #Desenho #Art #StudyOfArt #Pencil #OldBarn #Drawing #Arte #EstudioDeArte #Lapiz #Galpon #Dibujo
Um estudo em lápis e papel, bem simples, pra começar a semana. Um galpão velho que encontrei por aí. 🏚️ Desenhar estruturas antigas é sempre um exercício interessante, pois elas carregam marcas do tempo que contam histórias. Esse galpão, com sua estrutura desgastada e textura rica, foi um ótimo estudo de luz e sombra, além de texturas. E você, já experimentou desenhar estruturas antigas? 🎨 #Arte #EstudoDeArte #Lápis #Galpão #Desenho #Art #StudyOfArt #Pencil #OldBarn #Drawing #Arte #EstudioDeArte #Lapiz #Galpon #Dibujo
8 meses ago
View on Instagram |
7/10
Quando começamos a nos arriscar a desenhar rostos, geralmente começamos por pessoas de quem gostamos, sejam familiares, amigos ou mesmo famosos. 

É um incentivo bem bacana para aprimorarmos nosso trabalho.

Aqui representei minha esposa @denny,baptista - que tem sido representada de diversas formas nestes anos.

Este tipo de estudo, o de rostos, é excelente para mantermos nossa prática afiada, pois o rosto humano é bem difícil de se representar. Um risco a mais e envelhecemos a face, a menos e a tornamos infantil. O mesmo acontece com os volumes, luzes e sombra. 

Por isso, treinar nunca é demais!

Você já desenhou alguém de quem gosta? 

#esenho #desenhohumano #lapisepapel #draw #drawing #drawingart #dibujosart #dibujosalapiz
Quando começamos a nos arriscar a desenhar rostos, geralmente começamos por pessoas de quem gostamos, sejam familiares, amigos ou mesmo famosos. É um incentivo bem bacana para aprimorarmos nosso trabalho. Aqui representei minha esposa @denny,baptista - que tem sido representada de diversas formas nestes anos. Este tipo de estudo, o de rostos, é excelente para mantermos nossa prática afiada, pois o rosto humano é bem difícil de se representar. Um risco a mais e envelhecemos a face, a menos e a tornamos infantil. O mesmo acontece com os volumes, luzes e sombra. Por isso, treinar nunca é demais! Você já desenhou alguém de quem gosta? #esenho #desenhohumano #lapisepapel #draw #drawing #drawingart #dibujosart #dibujosalapiz
8 meses ago
View on Instagram |
8/10
Jovem Marco passando na sua timeline.

Filho da escola pública, cursei Belas Artes na UFRJ na raça. Nos primeiros 6 meses morei em uma vaga de uma pensão no Méier. Depois, consegui uma vaga no alojamento estudantil, na Ilha do Fundão.

Foram anos de vacas magras, mas de uma realização incrível. Faria tudo novamente, passando cada aperto, cada marmita, cada almoço no "podrão" embaixo do CCS ou no bosque da EBA, e fazendo as mesmas 30 horas de ônibus a cada final de semestre para voltar para casa visitar a família e a noiva. Cresci demais como pessoa, como artista, como profissional. O que aprendi lá me destaca até hoje. 

Nessa primeira foto estou eu, ainda no primeiro semestre, indo pegar o ônibus. Aí no fundo o prédio da reitoria e também da EBA. Recentemente o andar da EBA  pegou fogo deixando essa lembrança. 

A segunda foto foi tirada em 2009 no final da facul, na inauguração do Pamplonão, ateliê de pintura Candido Portinari, que contou com a presença do filho de Portinari. Eu sou a coisa estranha de boina na frente. Essa foi a foto oficial do evento - a prova de que eu estava lá, RS. O Pamplonão acomoda a galeria Macunaima, com exposições de estudantes e professores da EBA. Também tive a oportunidade e expor lá. Bons tempos! 

#ufrj #artista #palplonao #eba #ebaufrj
Jovem Marco passando na sua timeline.

Filho da escola pública, cursei Belas Artes na UFRJ na raça. Nos primeiros 6 meses morei em uma vaga de uma pensão no Méier. Depois, consegui uma vaga no alojamento estudantil, na Ilha do Fundão.

Foram anos de vacas magras, mas de uma realização incrível. Faria tudo novamente, passando cada aperto, cada marmita, cada almoço no "podrão" embaixo do CCS ou no bosque da EBA, e fazendo as mesmas 30 horas de ônibus a cada final de semestre para voltar para casa visitar a família e a noiva. Cresci demais como pessoa, como artista, como profissional. O que aprendi lá me destaca até hoje. 

Nessa primeira foto estou eu, ainda no primeiro semestre, indo pegar o ônibus. Aí no fundo o prédio da reitoria e também da EBA. Recentemente o andar da EBA  pegou fogo deixando essa lembrança. 

A segunda foto foi tirada em 2009 no final da facul, na inauguração do Pamplonão, ateliê de pintura Candido Portinari, que contou com a presença do filho de Portinari. Eu sou a coisa estranha de boina na frente. Essa foi a foto oficial do evento - a prova de que eu estava lá, RS. O Pamplonão acomoda a galeria Macunaima, com exposições de estudantes e professores da EBA. Também tive a oportunidade e expor lá. Bons tempos! 

#ufrj #artista #palplonao #eba #ebaufrj
Jovem Marco passando na sua timeline. Filho da escola pública, cursei Belas Artes na UFRJ na raça. Nos primeiros 6 meses morei em uma vaga de uma pensão no Méier. Depois, consegui uma vaga no alojamento estudantil, na Ilha do Fundão. Foram anos de vacas magras, mas de uma realização incrível. Faria tudo novamente, passando cada aperto, cada marmita, cada almoço no "podrão" embaixo do CCS ou no bosque da EBA, e fazendo as mesmas 30 horas de ônibus a cada final de semestre para voltar para casa visitar a família e a noiva. Cresci demais como pessoa, como artista, como profissional. O que aprendi lá me destaca até hoje. Nessa primeira foto estou eu, ainda no primeiro semestre, indo pegar o ônibus. Aí no fundo o prédio da reitoria e também da EBA. Recentemente o andar da EBA pegou fogo deixando essa lembrança. A segunda foto foi tirada em 2009 no final da facul, na inauguração do Pamplonão, ateliê de pintura Candido Portinari, que contou com a presença do filho de Portinari. Eu sou a coisa estranha de boina na frente. Essa foi a foto oficial do evento - a prova de que eu estava lá, RS. O Pamplonão acomoda a galeria Macunaima, com exposições de estudantes e professores da EBA. Também tive a oportunidade e expor lá. Bons tempos! #ufrj #artista #palplonao #eba #ebaufrj
8 meses ago
View on Instagram |
9/10
Desenho de Victor Meirelles, feito com giz pastel sobre papel preto. 

Meirelles é considerado um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos, e sua vida é uma fonte de inspiração constante. 

Nascido em Florianópolis, Meirelles estudou na Academia Imperial de Belas Artes no Rio de Janeiro, sendo um de seus grandes destaques e um ícone nacional quando se fala em Pintura. Sua obra abrange uma variedade de temas, desde retratos até cenas históricas e religiosas.

Não há livro de história do Brasil que não tenha uma pintura de Victor Meirelles, pois seu trabalho reproduz momentos históricos extremamente importantes como a Primeira Missa, Batalha dos Guararapes, Batalha do Riachuelo entre outras. 

#Arte #EstudoDeArte #GizPastel #PapelPreto #VitorMeireles #Desenho #Art #StudyOfArt #PastelChalk #BlackPaper #VitorMeireles #Drawing #Arte #EstudioDeArte #TizaPastel #PapelNegro #VitorMeireles #Dibujo
Desenho de Victor Meirelles, feito com giz pastel sobre papel preto. Meirelles é considerado um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos, e sua vida é uma fonte de inspiração constante. Nascido em Florianópolis, Meirelles estudou na Academia Imperial de Belas Artes no Rio de Janeiro, sendo um de seus grandes destaques e um ícone nacional quando se fala em Pintura. Sua obra abrange uma variedade de temas, desde retratos até cenas históricas e religiosas. Não há livro de história do Brasil que não tenha uma pintura de Victor Meirelles, pois seu trabalho reproduz momentos históricos extremamente importantes como a Primeira Missa, Batalha dos Guararapes, Batalha do Riachuelo entre outras. #Arte #EstudoDeArte #GizPastel #PapelPreto #VitorMeireles #Desenho #Art #StudyOfArt #PastelChalk #BlackPaper #VitorMeireles #Drawing #Arte #EstudioDeArte #TizaPastel #PapelNegro #VitorMeireles #Dibujo
8 meses ago
View on Instagram |
10/10